A Vida de Cabelos Brancos


A Vida de Cabelos Brancos
(Rômulo Chaves, Nilton Ferreira)

O tempo chega, e nos leva a mocidade
Revelando uma verdade, mesmo sem dizer
Que a vida vale, a dimensão de um momento
Pois desde o nascimento, começamos a morrer

Mas a experiência, me mostrou outro caminho
E de mansinho sussurrou novo argumento
È possível viver, sem olhar para a morte
Quando se é forte pra aceitar o próprio tempo

A vida é linda mesmo de cabelos brancos
E pra ser franco eu não lamento envelhecer
E guardo as lembranças presenteadas por meu tempo
E busco peito adentro, mais vontade pra viver

Também eu sinto, ainda que o tempo passe
Que a vida renasce, e nunca perde o brilho
Feito meu pai que deixou traços marcados
No rosto iluminado, que hoje vejo no meu filho

E o meu ontem vai tão longe na distância
Mas guarda ânsias, e amanhã pra me entregar
Quem sabe um verso, vivendo além de mim
Um dia enfim meu neto pra embalar

Festivais

CD/LP