A Morte Não Marca Hora

A Morte Não Marca Hora
(Teixeirinha)

Alô, alô amigos vamos ser realistas
Sabemos que a morte ela não marca hora
Aqueles que quiserem falar depois da vida
Terá que escrever antes fiz isto e canto agora

E como eu queria falar depois da morte
Então estou falando e eu já sou outrora
Dizendo adeus amigos meus fãs, meus familiares
Meu coração parou já estou indo embora

Televisões e rádios vocês estão ouvindo também
Veem minha foto em todos os jornais
Dizendo que eu morri e é pura verdade
O dono desta voz já não existe mais

Aqueles que puderem venham em meu velório
Amigos e parentes meus fãs venham também
O último adeus eu quero de vocês
Será o maior presente que eu levo pro além

Será a última noite que eu passo com vocês
Deitado em minha caixa junto aos que eu quero bem
Não é preciso choro sorriam para mim
Respondo em meu silêncio depois o padre vem

Encomendar meu corpo prá Deus lá no infinito
Depois peguem nas alças carreguem o meu caixão
Me leve por favor prá última morada
Cantando a minha música de gaita e violão

 “Quero que as duplas cantem em dueto chorem os aís
Quero um bom declamador se não é pedir demais
Quero dois bom trovadores em dez minutos de rima
Enquanto o povo me atira todas as flores por cima
Não ponham-me na parede quero túmulo sobre o chão
Meu busto de bronze em cima abraçado ao violão
O busto será mais tarde fazer a família mande
Marque o lugar que descança o cantador do Rio Grande”

Aqui fica meu corpo minha alma vai pro céu
Pagar os meus pecados se eu fui pecador
Se eu puder voltar espiritualmente
Quero fazer o bem ao povo sofredor

Aonde houver crianças, cuidando-as estarei
Curando as enfermas, amenizando a dor
As que tiverem fome arranjarei o pão
Me ajude a fazer isto meu Cristo Salvador

Cantores e cantoras também vou proteger
Cantar foi o que eu fiz quando na terra andei
Chame pelo meu nome quem precisar de mim
Se Deus me der licença contigo eu estarei.




colaboração do amigo Glenio
gracias pelo costado

Festivais

CD/LP