O BAILE DO PÉ-DE-CABRA

TÍTULO
O BAILE DO PÉ-DE-CABRA
COMPOSITORES
LETRA
DIOGO MULLER
MÚSICA
FILIPE CORSO
INTÉRPRETE
MARCELO OLIVEIRA
RAFAEL PRATES
RITMO
XOTE
CD/LP
08º CANTO FARROUPILHA
FESTIVAL
08º CANTO FARROUPILHA
DECLAMADOR
AMADRINHADOR
PREMIAÇÕES


O BAILE DO PÉ-DE-CABRA
(Diego Müller, Filipe Calvete Corso)

Um ranchito de madeira,
Pequeno, qual a esperança...
– Mas tudo se dá de jeito
Se o motivo é a própria dança!...
Até o leitão foi pra faca
E as “galinha” pra panela...
Não para de chegá gente
Se eu bombeio pras “janela”!...
Por isso, Alflino, socorre!
...Que o povo já cruza afoito,
Se amontoando pela sala,
Mais do que trança de oito!!!

Baixa Alflino, e traz o pé-de-cabra antigo,
Que hoje tem baile na beira do Paquetá...
Tira as “parede” pra caber os “convidado”,
Que o xixo bruto vai até o dia clareá!

Vão vir gaiteiros do Caju e da Olaria,
Daqueles velhos, que conhecem bem um chote...
– Tocam vaneiras, como somente eles mesmos,
E um bugiu macho, de requebrar té o cogote!

E uma guitarra vem, alí do Mato Grande,
Pra dar o timbre, até que o baile se acaba...
– Tira as “parede”, Alflino, pra aumentá espaço,
Que esta farroma... só sendo com o pé-de-cabra!

Sem as “parede”, é que o povo todo se espicha,
E que as esporas riscam num “cho-rô-chô-chô”...
– Os “loco” tudo enrredado, “baxo” o candieiro...
Que a percantada neste breu já se assanhô!

E era um faz que vai – não vai – no mesmo arrasto,
Que só esta gente dita, ao costeio da dança...
Pode quem pode – e quem não pode se sacode...
...Que até um de colo sob a poeira se balança!

E já clareia o dia ao sapucai de um gallo...
Quem levou leva... E quem não levou, tá sem par!...
– Mas, Seu Alflino, não alça a forqueta ainda,
Que há de botá as “parede” tudo em seus “lugar”!!!


Festivais

CD/LP