Na Meia Lua De Barro

Na Meia Lua De Barro
(Zé Renato Borges Daudt, Cauê Machado, Gustavo Oliveira)

Ao passo abanando as rédeas
Vem meu baio ao fim da lida
As vezes num contrapasso
Por uma ânsia contida...

De quem avista o galpão
Num fim de tarde silente
Enxergando cristalino
A mansidão a sua frente

E com ela vem a estrada
E um resto de fronteira
Que a poeira busca o tino
Toda vez que aperta a volta
Sei bem onde desencilho
O meu baio por parceiro
Nunca canso meu cavalo
Por querer chegar primeiro

E soube pelos caminhos
O que a vida nos revela
O que é trazer essência
E o que aprendemos com ela

Na meia lua de barro
Que o casco recém soltou
Ficou pelo galpão
O que a espora recortou


Intérprete: Marcelo Oliveira

Festivais

CD/LP