Bugio Do Proletário

Bugio Do Proletário
(Helena Fontana, José Alves Camargo)

Cruz em credo Virgem Santa
E agora seu José
A canoa está furada
E esse rio tem jacaré

A confiança foi pra o brejo
E a esperança foi de atrás
Quem não se arrumou na vida
Não se ajeita nunca mais

Se correr o bicho pega
Se parar o bicho come
Eu vivo pagando o pato
E nunca votei nos “home”

Já se foi o boi com a corda
E a égua com os arreios
Estou mais apavorado
Do que cego em tiroteio

Não tem macumba que arrume
Nem a fé me gratifica
Pois a coisa tá de um jeito
Que pior que isso não fica

Enfunchado  até os nabos
Ninguém sabe o que fazer
Esse salário nabento
Não faz a preta ferver

Não tem bagual que resista
É carreira desparelha
Na estância do Cabral
Tem mais sorro que ovelha

Bem que o meu avô dizia
E o vovô tinha razão
O pobre só é lembrado
Em ano de eleição

Mas o povo tem memória
E um dia vai dar resposta
Não vale trocar as moscas
E seguir na mesma história



BUGIO DO PROLETÁRIO -Os Garotos de Ouro Letra Helena Fontana Música José Alves Camargo by Helena Fontana 1

Festivais

CD/LP