Gare


Gare
(Silvio Genro, Tuny Brum)

Solidão, gare vazia...
Saudade apita pra mim!
Lá na Avenida Rio Branco,
Minha viagem chega ao fim.

As velhas locomotivas
E vagões abandonados,
Parecem com trens fantasmas
Assombrando meu passado.

O mapa antigo dos trilhos,
Sonhos teimando em viajar...
E corações esperando
O trem que não vai chegar!

Lá na Avenida Rio Branco,
Saudade segue viagem...
As lembranças que carrego
Já não cabem na bagagem.

Nas vielas da Vila Belga
Corre um trem imaginário,
E em minhas veias escorre
Saga e sangue ferroviários!

Os trens, na velha estação,
Não chegam nem partem mais...
Lá na Avenida Rio Branco,
O tempo nos fez iguais.

Festivais

CD/LP