Campeira

Campeira
(Érlon Péricles)

Campeira, a trança do meu doze braças
Que eu mesmo trancei.
Campeira, uma recorrida do fundo de campo
Num pingo de lei.
Campeira, a espora roseta prateada
Firmando o garrão!
Campeira, a indiada gaúcha de campo e mangueira
Que agüenta o tirão!

Campeira lida de campo,
Desperta ao cantar do galo...
Vamo atracando o cavalo,
De rédea firme na mão!

Campeira lida de campo,
Costume aqui do meu pago.
Campeira é a alma que eu trago,
Ao desencilhar no galpão!

Campeira, a velha cambona
Encostada nas brasas do fogo de chão.
Campeira, minha botonera
Que vai se espichando e amadrinha o violão!
Campeira,a graxa que pinga
Do quarto de ovelha no pé do tição
Campeira, saudade que trago
Daquela morena que é flor do rincão!

Intérprete: Cristiano Quevedo

Festivais

CD/LP