Bochinchando

Bochinchando
(Amaury Beltrão de Castro, Cenair Maicá, Talo Pereyra)

Falado: (Hoje estou disposto a tudo, envergo a melhor bombacha,
Nas botas eu taco graxa e englostoro bem as melenas
Encharco no trago as penas e na guaiaca dou um desfalque
E depois, e depois tiro o recalque nos braços de uma morena)

Rosilho bem encilhado, badana e pelego novo
E um bis na casca de ovo, ajoujado na guaiaca
Pra emparceirar uma faca, de fibra marca coqueiro
De peleguear bochincheiro e fazer touro virar vaca

Pro bochincho me boleio, estufado de confiança
Que esse xirú hoje dança com a mais linda do salão
E se a filha do patrão, se arreganhar pro meu lado
Não me faço de rogado, meto o peito e dou de mão
Não me faço de rogado, meto o peito e dou de mão

(Hoje estou disposto a tudo, envergo a melhor bombacha,
Nas botas eu taco graxa e me englostoro as melenas
Encharco no trago as penas, na guaiaca dou um desfalque
E depois tiro o recalque nos braços de uma morena
E depois tiro o recalque nos braços de uma morena)

Mal se chega e é um abraço de tanta china bonita
Dessas que as ancas agita maliciando o pensamento
E eu me achico num momento, fico embevecido a vê-las
Diviso tropas de estrelas ponteando no firmamento

Vou preparar o meu laço e apartar uma pra mim
Sento a marca e digo sim e volto às lides de campeiro
No meu rancho de posteiro, um chimarrão e carinho
Vendo um bando de piazinhos a correr no meu terreiro
Vendo um bando de piazinhos a correr no meu terreiro

(Hoje estou disposto a tudo, envergo a melhor bombacha,
Nas botas eu taco graxa e englostoro as melenas
Encharco no trago as penas, na guaiaca dou um desfalque
E depois tiro o recalque nos braços de uma morena
E depois tiro o recalque nos braços de uma morena)




Festivais

CD/LP