CIO DAS ÁGUAS

Título
CIO DAS ÁGUAS
Compositores
LETRA
EDGAR OCAÑA
MÚSICA
LEONEL GOMEZ
Intérprete
ADRIANO GOMES
Ritmo
MILONGA
CD/LP
9ª RECULUTA DA CANÇÃO CRIOULA
Festival
9ª RECULUTA DA CANÇÃO CRIOULA
Declamador

Amadrinhador

Premiações


CIO DAS ÁGUAS
(Edgar Ocaña, Leonel Gomez)

O sol campeiro pincela matizes
No quadro do pampa que a porta emoldura
E ao pé do braseiro solvendo um amargo
Na paz de meu rancho, bombeando as lonjuras

A terra molhada com o pranto da chuva
Exala o aroma que adentra na alma
Os campos floridos no céu se refletem
Pintando arco-íris, prenúncio de calma

No palco dos campos se vão serpenteando
As sangas que correm tangendo as coxilhas
O pago renasce no cio dessas águas
Brotando nos campos trevais e flexilhas

Os campos libertos da saga na sanga
Hermanam mais verdes no ventre da terra
A alma do guasca se torna mais pura
Ao ver as belezas que o pago en encerra

E ao pé do braseiro um guasca solito
Após a bonança da chuva caída
Exalta a querência nos versos que canta
E faz de seu rancho um naco de vida.


Festivais

CD/LP