DO MEU MATE HOJE CEDO

Título
DO MEU MATE HOJE CEDO
Compositores
LETRA
MAURÍCIO RAUPP MARTINS
MÚSICA
JOCA MARTINS
Intérpretes
JOCA MARTINS
Ritmo
MILONGA
CD/LP
15ª RECULUTA DA CANÇÃO CRIOULA – CD
Festival
15ª RECULUTA DA CANÇÃO CRIOULA
Declamador

Amadrinhador

Premiações
3º LUGAR
MELHOR ARRANJO
MELHOR INTÉRPRETE – JOCA MARTINS

DO MEU MATE HOJE CEDO
(Maurício Raupp Martins, Joca Martins)

Não pelo silêncio
Que o silêncio já havia
Mas pela ternura que trazia
Nos olhos claros de amigo

Não pelo silêncio
Que silêncios eu já tinha
É que de seu silêncio vinha
Conforto pra minhas quietudes

Não por solver solito
Que solito eu já mateava
Mas a solidão não se agrandava
Em respeito a sua vigília

Não sei se pela amargura do mate
Ou pelo fél do recuerdo
O meu mate hoje cedo
Foi mais de solidão e silêncio

Cevei um mate a capricho
Aticei bem o brasedo
Mas o perro hoje cedo
Não se achegou aos meus pés

Ontem o bom Deus o levou
Creio que por ser bom na lida
E por que na estância na outra vida
A precisão era maior que a minha

Não sei se pela fumaça
Que povoa o rancho e o olhar
Sinto os meus olhos de simples
Chorando o que é de chorar

Entendo, se não entenderei
Esse meu lamento de peão
Afinal não entendo tanta solidão
Entre os homens e seus semelhantes.

Festivais

CD/LP