Chasqueira Saudade

Chasqueira Saudade
(Rafael Ferreira, Robson Garcia)

Depois que virei a rédea do mesmo zaino de sempre
Pisando a réstia da lua, fio branco cortando estrada,
Nem quis olhar pelo ombro, aquilo que o rastro deixa,
Pois pra trás ficou um tanto, na tua trança colgada...

Me ajustei de peão por dia, na estância capitulina,
Golpeando égua de cima, buscando a plata que falta,
Mas na folga busco a volta, te olhando no pensamento,
Com teu sorriso de faixa, e o aroma bueno que exaltas,

Te mando um recadito, neste papel enrolado
Me desculpe os "modo errado", mereces mais, é verdade,
Mas cada linha é o meu peito, por entre um suspiro e outro,
Pois vi que o golpe de um potro tem menos dor que a saudade.

Atei com fita mimosa, colorada igual teu beijo,
Mandei uma flor juntito, que bem colhi tão rosada,
Talvez na hora que a pegues, ja esteja pálida e seca
Mas te prenda na intenção, não jogues fora por nada

Vai junto deste papel, um retalhinho de couro,
Uma lasca da desquina do bocal que vem sovado
Pois é a maior amostra da obrigação que sustento
Depois "das doma" eu regresso, pra ganhar o teu costado.

Intérprete: Marciano Reis


Festivais

CD/LP