Vitória

Vitória
(Rômulo Chaves, Jean Kirchoff)

Só sabe o rumo certo, quem vê de perto, a verdade alma adentro
E leva ao coração toda a emoção de um bom sentimento...
Não vale a caminhada, se ao fim da estrada, se chega sozinho,
É sempre importante, seguir adiante, encontrar o caminho...

Não falo de lutas vazias, na hipocrisia de um mundo irreal,
Falo da luta primária, vitória diária, na vida normal...
Quantas vezes o tempo sopra no vento, curando a dor,
Depois, renova com jeito, lá dentro do peito, o nosso valor!

Vejo a cada dia, que é quase poesia o dom de viver,
Onde a pena desliza na rima precisa de um sol a nascer...
Luz escreve a canção que marca o refrão e não sai da memória;
- Quem andou e caiu, mas jamais desistiu, já tem sua vitória!

Nada pode ser pior que a derrota maior de não mais sonhar,
Assim, tudo entristece e a gente padece, baixando o olhar...
Mas quem julga vencer, por enaltecer a opressão aos iguais
Deixa a alma ferida, se perde da vida e não volta jamais.

Então, sigo sincero, buscando o que quero, a paz por abrigo,
Penso que vem primeiro, ser verdadeiro, iniciando comigo...
Vou medindo meus passos, em cada abraço que eu vá receber,
Pois mais vale sentir, como é bom dividir, o sabor de vencer!




Intérprete: Jean Kirchoff

Festivais

CD/LP