Você Outra Vez

Você Outra Vez
(Léo Ribeiro de Souza, Angelo Marques, Ricardo Marques)

Quando pensei que tinha esquecido
Aqueles tempos que passei contigo
Eu te revejo deste jeito, linda
Sorriso largo, olhar de paixão
Então percebo que meu coração
Se descompassa por você ainda

A gente pensa que viver sozinho
Soltito ao vento, trocando de ninho
É o que norteia nossa liberdade
Mas lá no fundo esta alma andeja
Fica na volta, pois tá sempre presa
Ao tranco firme, chamado saudade

Mulher gaúcha, flor desse meu pago
Que cabresteia todos meus afagos
Desde o momento que te conheci
Quero que diga se tenho esperança
Porque meu corpo pouco a pouco cansa
De andar sem rumo só pensando em ti

O bom gaúcho tem que ter um pingo
Um gospe-fogo e as tardes de domingo
Para esquecer de suas mazelas
Mas chega um ponto que o xirú carancho
Depois da lida precisa de um rancho
E dentro dele uma china bela

E é por isso que ao te ver bailando
Vestido rubro, de campo queimando
Meus olhos seguem os teus movimentos
E dá vontade de largar da gaita
E não olhar pr'estas sirigaitas
Ficar contigo pro resto do tempo


Intérprete: Os Tiranos

Festivais

CD/LP