Entre O Jarau E As Missões

Entre O Jarau E As Missões
(Gilberto Trindade, Halber Lopes)

Reconheci pela estampa e o jeito que se entronava
Num ruano cola atada montaria de ginete
Tocava a tarde por frente com o olhar no horizonte
Toureando a boca da noite pra pousar no Alegrete

Trazia nos seus peçuelos cheiros de sangue e fumaça
Colhidos nas arruaças por descampados pampeanos
Peleando contra tiranos campeando melhores dias
Junto ao negro Malaquias parceiro de muitos anos

Carregava no semblante a intrepidez dos baguais
E cargas de tropas rivais refletidas na retinas
Vinha com nó pelas crinas e riscado a ponta de lança
Repontando suas lembranças de fuzarcas correntinas

Além da adaga e do trinta trazia a gaita nos tentos
Companheira de talento nos bochinchos de galpões
Um pala roto a tirões de minuano e balaços
E um ruano batendo cascos na direção da Missões

Crioulo esteio pampeano criado em palcos de guerra
Juca Ruivo alma de terra mais arisco que Urutau
Que o Jayme Caetano Braun afirmou que nnao é lenda
Pois nasceu por encomenda nas quebradas do Jarau



Intérprete: Ramão Missioneiro

Festivais

CD/LP