Relato De Quem Voltou

Relato De Quem Voltou
(Alex Silveira, Jari Terres, Edilberto Bérgamo)

Adeus as cruzes dos potros
E minha vida na espora
No braço que me sustenta,
No escarcéu campo a fora

Adeus ao galpão antigo
O aroma da maçanilha
Ao ritual da Ave Maria
O velho rádio de pilha

Adeus ao meu bichará
Com a lã crua do ideal
E o bufo lá do potreio
Do meu baio ainda bagual

Como era simples meu mundo
Na voz de algum payador
Banho de sanga e pitanga
E campos bordados em flor

Assim olhava o universo
Do meu rancho na janela,
Era andarilho meu sonho
Mas parava na cancela

Um dia fui mais adiante
Cruzei e varei estradas
Andei, andei pelo rumo
Que apontava a madrugada

Sorvi o apojo das ruas,
E descobri seus segredos
Tardes de angustias e saudade,
Noite de insônia e de medo

Depois que fui vida e morte
De um mundo que me estropiou,
Eu acordei desse sonho
De quem se foi mais voltou



INTÉRPRETE: JARI TERRES


Festivais

CD/LP