Da Porteira Pra Dentro

Da Porteira Pra Dentro
(Severino Moreira, Cristiano Medeiros, Volmir Coelho)

Meu coração um aporreado
“Meio tocado pelo vento”,
E quando lembra da linda,
“Patrona” do pensamento,
Que quando bati na marca
Ficou da porteira pra dentro.

Não quero cantar tristezas
Nem recordar a partida,
Tua imagem ainda persiste,
E a saudade me convida
Pois da porteira pra dentro
Que palanqueei minha vida.

Meu coração é a porteira.
Tem dentro um bem querer...
Um semblante terno de amor,
Vertente de paz e saber,
Sangra quando me aparto
Se abre quando te vê,

Estrada longa esta
Que me leva de roldão
A porteira entre aberta,
Por onde verte a canção
E bebe o sal da lagrima
Que te sangra o coração...

E ao trote deste sonho,
Que sabe onde ela está,
Tenho ânsias de carinho.
E essa gana de voltar,
Levando o calor do teu abraço,
Pois o coração já está lá.


Festivais

CD/LP