Um Canto Para O Dia

Um Canto Para O Dia
(Ernani Amaro Oliveira)

Um naco de um sol de ouro
Dourando a copa do angico
Pé por pé se levantando
Pra acordar o tico-tico

É o frescor da madrugada
E a passarada já se assanha
E o sereno em gotas de prata
Enfeita teia de aranha

Sol, lua, estrela boieira
Num rastro de poeira
O dia começou

Metade de um sol vermelho
Listrando o céu na planura
Agachando-se matreiro
Que nem sorro em noite escura

É a tarde, é o caminheiro
Que vai chegando à pousada
Tem mate e churrasco quente
Pra seguir na madrugada

Sol, lua, estrela boieira
Num rastro de poeira
O dia continuou

Um quarto de lua fria
Iluminando a coxilha
Que filtrada mais se enfeita
Nos cabelos da flechilha

E a noite, pra ser encolhida
Um causo, uma gauchada
E o fogo comendo a lenha
No sorriso da peonada

Sol, lua, estrela boieira
Num rastro de poeira
O dia terminou

Festivais

CD/LP