João da Madrugada

João da Madrugada
(Paulo Silva)

Levava
No peito um sonho
No canto
Um grito de paz

Nas mãos
Levava poesias
Pro tempo então germinar

Enrolado no seu poncho
Varava a noite campeira
Fazendo versos solito
Pra sua estrela parceira

Se é forte o vendo da vida
Se esconde numa pajeada
E quando o sol se despenca pra vida
Poeta faz chimarreada

Por isso o mundo fez
Pra João a madrugada

João se vai, se vai
João se vem, se vem
Solito na madruga
Cantando sem ter ninguém
E o tempo vai geando
A aba do seu chapéu
E o João da Madrugada
Vira a estrela lá no céu
E o João da Madrugada
Vira a estrela lá no céu

João se vai, se vai
João se vem, se vem
Solito na madruga
Cantando sem ter ninguém
Se a noite cai uma estrela
Triscando o céu em pajeada
É o João que está voltando
Pra cantar na madrugada
É o João que está voltando
Pra cantar na madrugada


Festivais

CD/LP