Timbres Da Natureza

Timbres Da Natureza
(Rômulo Chaves, Flávio Campos Sartori)

A canção ganha timbres da natureza
Pela beleza que destes olhos não sai,
Esplendor que Deus criou para a gente
Nas corredeiras do belo rio Uruguai.

As águas doces trazem vida consigo
São abrigo para bichos e prá o verde,
Ainda guardam na magia de seu leito
O dom divino de saciar a nossa sede.

Que sempre viva o rio destes versos
No universo que depende destas águas,
Prá que o homem não lamente no futuro
A dor sentida de quem chora suas mágoas.

O rio canta pela voz da passarada
Na madrugada que o sol vem acordar,
Traz para alma a pureza do que é belo
Que um costeiro jamais cansa de cantar.

Festivais

CD/LP