Quitandeira

Quitandeira
(Sadi Machado, Miguel Marques)

Quitandeeeiraaa!

De trança comprida e seu chapéu de palha
Numa gueixa baia já de lombo arcado
Vai entrando cedo, é segunda-feira
Velha quitandeira chega no povoado

Entra no povo planejando a venda
Lembra as encomendas da última viagem
Lá na hospedagem da velha Ritoca
Moranga e mandioca e o feijão-de-vagem

A quitanda pesa, a gueixa amiúda o trote
Ela lembra o piazote de colo que mama
Que ficou em casa pra mana cuidar
Mas quando acordar, ele chora e lhe chama

Quando vende cedo, foi bem de quitanda
Agradece a Deus a sorte que tem
Lá no bolicho do velho Miranda
Já tratou uns queijos pra viagem que vem

E volta feliz porque a vida é bela
Já comprou de vinda o que estava faltando
Erva de mate, sal e querosene
E a canha pro velho que ficou plantando

Quando vende cedo, foi bem de quitanda
Agradece a Deus a sorte que tem
Lá no bolicho do velho Miranda
Já tratou uns queijos pra viagem que vem

E volta feliz porque a vida é bela
Já comprou de vinda o que estava faltando
Erva de mate, sal e querosene
E a canha pro velho que ficou plantando


Festivais

CD/LP