De Campo e Rio

De Campo e Rio
(Gujo Teixeira, Sabani Felipe de Souza)

Um tem alma de invernada
E no lombo de uma gateada
Tem o mundo nas esporas
Tem o campo por sustento
E copia o assovio do vento
Pondo a tropa estrada a fora
Sabe de tropa estourada
Das rondas nas madrugadas
Cuidando o gado de perto
Sabe seguir de fiador
Quando acaba o corredor
Pra achar o atalho mais certo

O outro tem alma na proa
E leva a noite e a canoa
Onde o sangrador deságua
Sabe dos vaus e das canchas
E que a lua se desmancha
Quando um remo bate na água
Quem conta estrelas no céu
Enquanto estende o espinhel
Nos galhos do sarandi
Embala o corpo e a vida
Numa canoa sofrida
Que ainda sabe aonde ir

Por isso que campo e rio
De campeiro e pescador
Sabem que a paz é um momento
Em que a vida na voz do vento
Leva a gente aonde for

Quem é de campo bem sabe
O destino que lhe cabe
De encilhar a vida inteira
Banca o cavalo no freio
E aperta bem os arreios
Pra apeiar só nas porteiras
Quem é de rio sabe as sedes
Sabe os remansos e as redes
E as cheias que o rio tem
Mas também sabe os pesqueiros
Quando o tempo por matreiro
Nos leva a vida também


Festivais

CD/LP