Temporais

Temporais
(Helena Fontana, José Alves Camargo)

Parece que o céu desaba
Num pranto feito de chuva
Um raio rasga o espaço
Sangrando a noite escura

O vento, parece louco
Açoita o arvoredo
Balança a quincha do rancho
E o guri chora de medo

Não chora meu filho dorme
Que o temporal vai passar
E logo ao romper da aurora
O sol voltará a brilhar

Embalado pelo afago
Dorme ouvindo a cantiga
E a mão pequena não larga
O calor da mão amiga

A noite que era um assombro
Sumiu quando amanheceu
Um dia o piá se viu homem
E a mão amiga perdeu

Não chora meu filho, dorme....

E nesses tempos de medo
Quantos temporais enfrenta
Mas dizem que homem não chora
Sofrena o choro e aguenta

Chora sim, feito criança
Mentir pra si, não precisa
Um homem também tem medo
Nos temporais desta vida



TEMPORAIS – João Quintana Vieira - Letra Helena Fontana Música José Alves Camargo by Helena Fontana 1

Festivais

CD/LP