Flor do Aguapé

Flor do Aguapé
(Edilberto Teixeira, Enio Medeiros)

Encima do espelho d’água,
Com as raízes se enredando
O aguapé fica boiando,
Onde a sanga não dá pé
Num tapete verde-oliva,
Como orquídea azul nativa
Nasce a for do aguapé.

Aguapé filtro das águas,
Remansosas que são turvas
Vem mostrar depois das chuvas
Os pesqueiros junto à flor.
Quando é noite o vento é calmo
As traíras mais de palmo,
Cai no anzol do pescador.

Aguapé flor do meu pago
Com feitio de alga marinha
Flor azul da beira d’água
Trampolim das marrequinhas.

Com as gavinas flutuantes
Faz a taipa contra o vento,
E só muda acampamento
Quando o temporal deságua
O aguapé na água flutua
Pra esconder da luz da lua,
Os encantos da mãe d’água.

No verão lá no meu pago,
Quando é tempo de pitanga
Se uma prenda olhando a sanga,
Do aguapé quer ter a flor.
Logo o peão apaixonado,
No lagoão se põe a nado
E traz na mão pro seu amor.



Flor De Aguapé - João Quintana Vieira e Grupo Parceria by guascaletras

Festivais

CD/LP