Estância Santa Joana

Estância Santa Joana
(Enio Medeiros)

Quando o rigor da madrugada
Me levanta dos pelego
Sou taura que salto cedo
Com a boca seca por mate

Pois não tem peão que desate
Num sonho de olho aberto
Mateio com as três Marias
Três cusco deitado perto

A cavalhada no potreiro
Pastando de sentinela
E um sorro de toda guela
Assombra o rebando de cria

Uma coruja que chia
Na costa do Ijiquiqua
E o Ibírocai legendário
Sobre o grito do guará

Na Estância Santa Joana
A pegada sempre é mais cedo
Junta a boiada do trevo
Também os La do perau

Salustiano o negro mau
Numa tostada apoderada
Que sai caindo de boca
No campo branco de geada

Três léguas do plano alto
E ainda se escuta os berro
Do negro que trança ferro
Templado do Ibírocai

Que se bolca ele sai
Rédeas e cabresto na mão
Um bocal de tamaduá
E no chapéu uma oração



Ênio Medeiros - Estância Santa Joana by guascaletras

Festivais

CD/LP