Se o Amor Anda Distante

Se o Amor Anda Distante
(Jairo Lambari Fernandes)

Quando o silêncio se arranchar junto de mim
Nestes confins, onde a saudade fez morada
Lua timbrada no sossego das alturas
Cevando um mate pra sorver a madrugada

Quem traz distância nas retinas estradeiras
Abre porteiras quando a dor da solidão
Vara o galpão e contamina quem mateia
Tecendo a teia que enrredou meu coração

Se o amor anda distante dos limites do lugar
E só em sonho minha mão te alcança um mate
Sei que renasce nas flores que hão de ficar
Dentro do rancho, perfumando o nosso catre

Quem sabe o verso que pousou na flor vermelha
Siga as abelhas e consiga te encontrar
Pra te falar da dor do amor que alucina
Na triste rima de quem vive a te esperar

E se meu verso não puder te convencer
E o teu silêncio for resposta pra esta ausência
Tenhas certeza que as flores da primavera
Serão mais belas se voltares pra querência

Se o amor anda distante...

Festivais

CD/LP