Cantiga de Rio e Remo


Cantiga de Rio e Remo
(Aparicio Silva Rillo, José Gonzaga Lewis Bicca)

Olha o dourado que bateu no espinhel
Traz a canoa que rio fundo não da pé
Olha o dourado que bateu no espinhel
Traz a canoa que rio fundo não dá pé

Esta cantiga é muito antiga é muito amiga
Que me acompanha desde o dia em que nasci
Pego a canoa quando eu saio noite afora
Pescando estrelas no Uruguai ou no Ibicuí

Ela é remanso, é cachoeira é lua cheia
Ela é piava ela é dourado é surubi
Ela e o espanto do piá que a vez primeira
Tirou das águas para o solo lambari

É o pão da mesa para fome de quem pesca
O peixe arisco da aventura que há de estar
Na voz humilde de quem canta esta cantiga
Sem outros sonhos que não seja o de pescar

Festivais

CD/LP