Grão Após Grão


Grão Após Grão
(Carlos Omar Villela Gomes, Piero Ereno)

Um mesmo sonho estende os braços sobre o mundo,
Pelo planeta fala em todos os dialetos...
Povos de bem procuram paz entre os escombros,
Entre a miséria de bilhões de analfabetos.

Um mesmo sonho chora dor e frustração
Ouvindo vozes trovejando nos comícios...
Mentem mil juras de fartura à multidão,
Que cega, entende ver beleza em tantos vícios.

Quando o futuro florescer pelas palavras,
Os que penavam sob a mira dos canhões
Serão o mundo a reagir, na nova lavra
Ceifando as armas com o fio dos corações!

Quando a ternura nunca mais morrer de fome,
Nem as idéias sufocarem de opressão...
O novo mundo brotará de cada homem
Que acreditar e semear grão após grão!

Se alguém um dia nos deu vida e livre arbítrio
Também nos deu o dom sagrado de sonhar...
E essas lágrimas que Deus mandou na chuva
Inundam luzes de futuro em cada olhar.

As tantas pedras desabadas que miramos
Serão a base do castelo mais bonito...
Há esperança no futuro que forjamos,
Há mais verdade nas entranhas deste grito!


Festivais

CD/LP