A Pedra

A Pedra
(Severino Moreira, Zulmar Benitez)

“Um dia foi o bem e o mal.
Hoje é o flagelo de uma nação.
Nosso país está envelhecido,
Por que a juventude se consome pelo vicio”.

Da terra vem o começo
Na pedra se resume o final,
Pois na terra ressurge vida
E a pedra planta o funeral.

Da pedra surgiu a lança,
Que arrematou numa cruz,
É quem acende a cobiça,
Quando destapa e reluz.

Riscada foi “pai de fogo”,
Moldada se fez boleadeira,
Foi dor de escomungados,
“Mundanas” e feiticeiras,

Nos pés é fio que castiga,
Por vezes cala bem fundo,
Na cabeça mutila sonhos,
E a dor espalha no mundo.

Trás a sede que não sacia,
Deixa tudo em reviravolta,
Transitar “o caminho da pedra”,
É trilhar caminho sem volta.

É seixo na caricia das águas,
E gelo ao despencar do céu,
Na doutrina dos “Sete Povos”,
Foi o batismo dos “incréus”.

Na coxilha é monumento
Trincheira numa canhada,
No galpão “assenta o fio”,
Pra “gravata colorada”.

Assim se define “Pedra”,
Uma palavra universal,
Traduz miséria e luxo,
Todo o bem e todo o mal.

Festivais

CD/LP