Desencontros Do Tempo


Desencontros Do Tempo
(Vaine Darde, Everson Maré)

Hoje encontrei no galpão
Algumas coisas antigas,
As bugigangas da lida
Que o tempo escondeu de mim...
Os trastes, tristes imóveis
De doma, tropa e arado,
Num par de esporas calado
Duas estrelas sem luz.

Revendo meus badulaques,
Os utensílios de campo,
Parceiros dos pirilampos
Quando eu rondava por lá,
Foi tanta saudade xucra
Que o açude vazou nos olhos
E o violão pediu colo
Para a milonga chorar.

Distante dos horizontes de ontem,
Encontro nos desencontros do tempo
A vida antiga, amiga das lidas,
Cantando léguas na língua dos ventos.

Nos corredores ao longo do mundo,
Um cusco ausente ainda late pra lua,
E o pampa arde no fundo do peito
De quem se encontra perdido nas ruas...
E, da porteira não vejo no pasto
Algum petiço querendo retoço
Só o cata-vento que bebe na tarde
O rio que corre no fundo do poço.

Festivais

CD/LP