Penas


Penas
(Francisco Alves, Kenelmo Alves)

Uma estampa da pampa vai desaparecer
Não tem liberdade e não pode correr
Não pode correr, não pode correr....
A máquina e o homem cortaram distâncias
E léguas de estância não existem mais
Não existem mais, não existem mais.

Inhandu tuas penas, são penas que chegam
Nas tardes amenas as lembranças de um piá
Que apenas queria nas correrias
Roubar-te uma pena pra poder brincar.

Nas grandes cidades vi festa... vi plumas
Enfeitando a vaidade e alegria fugaz
Na loucura da festa luz e esplendor
Na tristeza das penas um grito de dor.

O avestruz do meu pago vai desaparecer
São penas que trago e nada posso fazer
A falta de espaço encurtou o seu passo
E sem liberdade não pode viver.





Festivais

CD/LP