Pala da Noite


Pala da Noite
(Carlos Omar Villela Gomes, Érlon Péricles)

A lua é um buraco de bala no pala da noite
Oigalête mas que mira do atirador
Ou tava atirando pra cima por rabo de saia
Ou tava fazendo tocaia pra Nosso Senhor

A bala furou este pala, presente do dia
Um pala de seda e poesia que a noite vestiu
E a noite coçada de bala ergueu Três Marias
Tentando bolear de vereda a quem lhe agrediu

Já tava armada a peleia bem lá nas alturas
A noite de pala furado de raiva tremia
Quem foi o bandido sem alma que só por maldade
Fez mira no pala da noite regalo do dia?

Mas Deus já cansado de guerra pediu uma trégua
Pra noite que tava tão cega de raiva e de frio
A noite largou Três Marias erguendo Cruzeiro
E o céu se amansou novamente no sul do Brasil

Num fundo de campo tranquilo Blau Nunes pitava
Foi só um balaço por farra, ninguém se pisou
E a noite ainda hoje bombeia querendo vingança
Blau Nunes é lenda e a história Simões não contou

Festivais

CD/LP