Nos Caracóis do Meu Mate


Nos Caracóis do Meu Mate
(Nenito Sarturi, Airton Dorneles)

Ando campeando guarida, nos caracóis do meu mate
Busco razoes para a vida quando a saudade me bate
Na solidão que atropela o breu da noite encardida,
Por vezes fico a janela bombeando a estrada comprida

Nesses momentos fugazes
A tua imagem vem pedir passagem
Ao meu pensamento:
Sem perceber que judia
Sorrindo me espia e traz nostalgia
Nas asas do vento

A lua-parceira ingrata que abandonou-me na estrada
Crava as rosetas de prata na ilharga da madrugada,
Só o mate amargo lavado que já me abriu tantas portas
Vara a noite ao meu costado, na ronda das horas mortas

Festivais

CD/LP