Camposanto


Camposanto
(Leonel Gomez, Rogério Ávila)

Passei por um camposanto
Em noite de lua nova
Tava um casal de finados
Mateando fora da cova

Esporeei meu toso gueno
Não quis saber do amargo
De noite em camposanto
Me gusta cruzar de largo

Passei por um camposanto
Em noite de lua nova
Tava um casal de finados
Mateando fora da cova

Passei por um camposanto
Em noite de lua nova

Esporeei meu toso bueno
Não quis saber do amargo
De noite em camposanto
Me gusta cruzar de largo

Em outro passei com tropa
Na noite lua crescente
E um finado gauchão
Meta "saludo" pra gente

Em outro passei com tropa
Na noite lua crescente

Esporei meu toso bueno
Fazendo cruz pra este pago
De noite em camposanto
Me gusta cruzar de largo

Andava pelando chiba
Numa coxilha de areia
Por de trás da sepultura
Brotava uma lua cheia

Andava pelando chiba
Numa coxilha de areia
Por de trás da sepultura
Brotava uma lua cheia

Andava pelando chiba
Numa coxilha de areia

Esporeei meu toso bueno
Fazendo cruz pra este pago
De noite em camposanto
Me gusta cruzar de largo

Por falta de um bem querer
Num baile em lua minguante
Me fui talariando estrivo
Campeando a sorte adelante
Junto à cruz "una paysana"
Dice me: Corazón vago
-" Pero en noche por camposanto
- Me gusta cruzar de largo!"



Festivais

CD/LP