Guitarreiro


Guitarreiro
(Raineri Spohr, Fábio Maciel)

Guitarreiro sobre um cepo
Inda antes um mateador
Quem sabe em cada acorde
Aos poucos eu mate a dor

Tão saudoso te procuro,
Minha clara lua linda,
Não te vejo, sou mais triste
Nesse quarto que não se finda!

Há uns dias eu bombeava
E meu rosto refletia
Um pouco do que me entregas
Num jeito de quem sorria

Promisso pra quem te ronda
E por certo este teu riso
Te regalo uma milonga
E me basta, é o que preciso!

Faço um verso pra milonga,
Bem no quarto que és inteira
Até estranho o meu gosto
Pois a noite que é trigueira!

Guitarreiro sobre um cêpo
E logo mais um mateador
Quando amanhecer, vou vê-la
Sem um naco de dor!

Já temi o teu semblante
Em que vais minguando o claro
Mas teu sorriso ás avessas
Aos meus olhos já é raro

Pois me abanco junto á aguada
Sem os remansos do dia
Tem teu lume ao meu agrado,
De um tempo sem nostalgia!

Talvez eu suma um dia
E não me veja te olhando
Pois sou bem menos que o tempo
Que acaba me levando!

Mas é só buscar a volta
Tremeluzindo uma estrela
Quem sabe eu do teu lado
Na ansiedade de tê-la!

Faço um verso pra milonga,
Bem no quarto que és inteira
Até estranho o meu gosto
Pois a noite que é trigueira!

Guitarreiro sobre um cêpo
E logo mais um mateador
Quando amanhecer, vou vê-la
Sem um naco de dor!

Festivais

CD/LP