Madrugada

Madrugada
(Albino Manique, Valderez Peixoto)

A Estrela D’Alva vem despontando
Prenunciando a madrugada
A gaita velha cheia de poeira
Dê-lhe vaneira meio acanhada

O candeeiro tá cochilando
Prenunciando o fim da festança
Os galos cantam lá no terreiro
E no entrevero a moçada dança.

Vai madrugada repontando o dia
Que o sol não demora a raiar
Espiando nas frestas um resto de baile
Uma gaita manhosa num canto a chorar

Pela estrada afora
Escaramuça cavalos a gauchada
Levando nos sonhos uma moça morena
Campeando outra vez outra madrugada.

Festivais

CD/LP