Alma Gaúcha

Alma Gaúcha
(Telmo de Lima Freitas)

A semente que trago na alma gaúcha
Tem o cheiro das cinzas de muitos fogões
Tem o canto nativo de velhos monarcas
Que marcaram tarcas no chão das Missões

É por isso que eu trago nas cordas do pinho
O pó das estradas que muito cruzei
As noites de lua, as várzeas tordilhas
Cheirando a flexilhas que muito pisei...

Às vezes eu mesmo cantava chorando
Montado no baio das predileções
Nem mesmo pensava que o tempo mudasse
E apenas ficassem só recordações

Por isso me lembro cantando sozinho
Antigos caminhos que a alma guardou
E sempre que posso cantar a meu jeito
Dou rédeas ao peito da forma que sou...

Festivais

CD/LP