Romance Para Quem Chega


Romance Para Quem Chega
(Jairo Lambari Fernandes, Gujo Teixeira)

Um dia desses Rosaflor olhava um sonho
Na sanga clara junto à sombra do arvoredo
Guardava um beijo pra entregar quando voltasse
E uma palavra que ainda pouco era um segredo.

Mariano Luna no galpão cevava um mate
Cuidando um baio que escarceava com buçal
Foi quando a tarde então pintou-se de outono
Era sua linda que apontava no portal.

Rosaflor chegou de manso, como chegam
Notícias boas, brisa e sol e um novo dia
E então contou das tantas luas que viriam
Até que o rancho ia encher-se de alegria.

Mariano Luna nem cabia em seu sorriso
Tomou um mate e mais outro sem notar
Passou a mão sobre o ventre da sua prenda
E viu que o tempo tinha esperas pra entregar.

Toda alegria resumiu-se num abraço
E num silêncio igual à calma do rincão
Que se ouviu o canto claro de um barreiro
Moldando um rancho na janela do galpão.

Foi um cantar de anunciação ele sabia
Outro casal que erguia um rancho na querência
Era o destino que entregava a luz da lua
Pra junto à flor deixar raiz e descendência.

E Rosaflor falou da casa e das bonecas
Das coisas boas que essa vida ia lhes dar
Mariano Luna já pensou num rancho novo
E de amansar um peticinho pra o piá.

Agora era só o tempo dessas luas
Que sabem bem de o ciclo certo das esperas
Trazer a vida num sorriso de um piá
Ou de outra flor que chegará com a primavera.

Mariano Luna nem cabia em seu sorriso
Tomou um mate e mais outro sem notar
Passou a mão por sobre o ventre da sua prenda
E viu que o tempo tinha esperas pra entregar.

Toda alegria resumiu-se num abraço
E num silêncio igual à calma do rincão
Que se ouviu o canto claro de um barreiro
Moldando um rancho na janela do galpão.

Um dia desses Rosaflor olhava um sonho.



Festivais

CD/LP