A Vida Do Operário

A Vida Do Operário
(Teixeirinha)

Cinco horas da manhã alarma o despertador
Anunciando o novo dia acorda o trabalhador
Toma seu banho e café vai tomar a condução
Às sete e meia ele pega lá na sua construção
E o Brasil vai crescendo como calo da sua mão

Ao meia-dia ele pára prá segunda refeição
Sua companheira em casa cuidando da obrigação
Perto da noite ele volta do seu trabalho cansado
Está na hora do “pique” lá vai num bonde lotado
No fim da linha ele desce, compra no super-mercado

Os filinhos no terreiro de longe o pai ouve a voz
O caçulinha pergunta: trouxe um docinho prá nós
A sua esposa na porta vem beijar-lhe com alegria
Perguntar pro seu marido como ele passou o dia
Cansado janta e se deita na sua cama macia

No outro dia é o mesmo, lá vai ele sorridente
Pegado na construção levando o Brasil prá frente
Se não fosse o operário não existia grandeza
O nosso Brasil não era um gigante de riquezas
Que deus não deixe operário! Faltar pão na sua mesa.

Festivais

CD/LP