Fronteiras De Um Só Povo

Fronteiras De Um Só Povo
(Ayrthon Nenê Caetano)

Um homem mateia solito
Alheio a tudo na sombra do oitão
Seu olhar percorre o longo infinito
O campo alargando horizontes de pão

Fronteiras demarcam limites
Separando povos tidos como irmãos
Bandeiras identificam pátrias
Com regras e leis sem explicação

Talvez mudássemos o conceito
De pátria e querência, para povos irmãos
Pois terra e somente terra
Todos têm direito a usar seu quinhão

Festivais

CD/LP