Vaca Parada

Vaca Parada
(Eduardo Muñoz, José Carlos Batista de Deus, Fabrício Harden)

Se foi a brasina pampa
Na noite de temporal,
Um raio correu na cerca
Pra dar o pealo fatal...
Restaram couro e cabeça
Pra confortar o piazedo:
- Mais vida pros fins de tarde,
Em vez de apojo bem cedo!

Firmando o braço de a pé
Voando as horas se vão...
Fica a presilha de arrasto
Sem pretensão de tirão...
Sobra mão e falta laço
Que até por isso se gasta,
Sovando a toca dos zóio
Do bicho que já não pasta!

Quem laça vaca parada
Recebe mais do que herança:
- Deus arma todos iguais
Na hora que estende a trança...
Escola dos laçadores
Que a lida há de prová-los,
Pois só garantem diploma
Fazendo igual de a cavalo!!!

Descaminho dos guris
Nos colégios do interior,
Não perdem dia de prova
Que o vermelho tem valor…
Narradores de improviso
Toreiam a pontaria
Não passam despercebidos
Inventos e pescarias!

Na volta do cavalete
Onde o ritual se repete
O pasto rapado mostra
Que existe boca do brete...
Até quem não é da côsa
Manda corda e faz bonito,
Ter nascido enforquilhado
Não faz ninguém favorito!

Festivais

CD/LP