Versos Para Meu Cusco

Versos Para Meu Cusco
(Fábio Gonçalves Korsak, Antonio Augusto Korsack, Paulo César da Silva)

Desde bem cedo ouço o latido do meu cusco
Que faz comigo a lida bruta da campanha
No frio do inverno deixa o calor do baixeiro
E pra mangueira a gadaria ele arrebanha

Enquanto ordeio as vacas pra o meu consumo
O taura lambe ao pé do fogo o próprio couro
Depois do trato no saleiro para os bichos
Vamo às ovelhas, ele latindo eu no meu mouro

E quem já teve um cachorro companheiro
Conhece o gosto da verdadeira amizade
Não pede nada e um afago é o maior prêmio
Pra quem não fala e tem nos olhos a verdade

Viro os meu livro, ainda há tempo pra aprender
Mais um amargo e o cão sente a despedida
Vou pra cidade atrás do sonho do diploma
E o meu amigo no galpão busca a guarida

De tardezita ele me espera na porteira
Traz alegria esse meu peito ainda moço
Costela gorda, um violão e um bom cambicho
E o cusco ao lado na espera de algum osso

E quem já teve um cachorro companheiro
Conhece o gosto da verdadeira amizade
Não pede nada e um afago é o maior prêmio
Pra quem não fala e tem nos olhos a verdade

Festivais

CD/LP