Repartindo A Tarecama

Repartindo A Tarecama
(Marco Antonio Nunes, Edson Vargas)

Já são quase 20 ano que sou tua por inteiro
Aguentando teus fiasco, cara feia e borracheira
Hoje que tô chairada pra você perdi valor
Assim não suporto mais, eu só quero é amor.

Quando a cousa se atravessa
Vou te contar meu ermão
Deu a boba na muié
Pediu a separação
Vamo faze um acordo
Eu gritei pela janela
Repartimo a tarecama
Tudo bem me disse ela.

Comecemo pelos bicho: Pode levar o Totó
Deixo o Mimi e a Cocota assim não fico tão só
Leva as bota de borracha o bodoque e a tua canha,
Mas me deixa a querosena e aquele resto de banha.

Leva esse pala véio e o teu baraio de truco
Deixa a jarra de matéria onde eu faço os meus Ki-Suco
Já separei num saquinho meus creme e as vitamina
Leva o óleo de capincho e o vidro de Infalivina.

Fica o tacho e as panela bem assim ela me disse
As cuia, a bomba e bacia e as fita da Berenice
O fogão e a caçarola, mais o colchão e o machado
Mas pode levar a Solingen e o quadro do colorado.

Leva as pilha e deixa o rádio e a tua frigideira
A gamela, as morcia a lanterna e a cristaleira
Só me falta ela quere minha coleção de bulita
Meu serrote e o cantil os guides e o toca fita.

Vou ficar com o baú pra guarda minhas pantalona
Pode levar o teu cepo, a enxada e a cambona.
- Consome com esse pelego!
Me falou bem neste tom
E me deixa uns cinco pila pra pagá a muié do Avon

Tá bem justa a divisão tu não acha seu coió
Pode seguir teu caminho vai campiá outra bocó
Que mulher desaforada me deixou sem um vintém
Mas tá bom não demo bola, um dia a volta vem

Festivais

CD/LP