Coplas De Tosador

Coplas De Tosador
(Francisco Luzardo, Rogério Melo, Giovani Vieira)

Tá chegando as esquilas!
Já sinto cheiro de cera, e as comparsas da fronteira
Já andam reculutando a indiada flor de tesoura
Que grude de toda folha e o couro fique alumiando!

Já desaguachei a moura
Afiei bem as tesouras
Tô pronto pro que vier
Ferro com as folha benzida
E os braços pra ganhá a vida
No cabo desses talher

Vou me enturmar na comparsa
Que vai lá pra Paz das Garças
Tosar miles de capão
Corriedale sem escolha
De mete de toda folha
Acolherando as duas mãos

Sendo pra lotá ficheira
Me tapo de lã e cera
Pouco me importa o calor
Se resolvo soltá o braço
Quase mato no cansaço
Quem se mete a agarrador

É dois pulsos no martelo
Tchaque-tchaque e atiro o velo
Por cima do atador
Ferro e folha e não tem nada
Vai embora guacha pelada
Berrando pra o tosador

Grudo a marca santaninha
Solto lisa e rosadinha
Porque o braço não se micha!
E n’alguma escapada
Boto cortiça queimada
Garanto que não abicha!

Se me topo com as mirina
Apelo pra cangibrina
Arrolhadita atrás da porta
E no couro murcilhado
Sigo de ferro embuchado
Nas rugas campeando as volta

A pobreza é igual capacho
E só biqueando por baixo
Que um pobre cristão se safa
Quando largo da tesoura
Nas patas da minha moura
Prossigo espichando a safra!

É dois pulsos no martelo
Tchaque-tchaque e atiro o velo
Por cima do atador
Ferro e folha e não tem nada
Vai embora guacha pelada
Berrando pra o tosador

Festivais

CD/LP