Canção da Madrugada

Canção da Madrugada
(Carlos Castilho)

As nuvens poncho tordilho
Que tapam o lombo do céu,
No vento ponho o lombilho
E em sonhos vago ao léu.

No lusco fusco dos sonhos
Amanhece um cantador
Pedindo que a alma da noite
Traga o sol com seu calor.

Calor que derrete o sono
Que trago dentro de mim
Pra bem desperto e atento
Cantar e gritar assim...

Êra – êra – êra...
Vem o mundo sem favor
Êra – êra – êra...
Vem trazer o meu amor.
Amor coberto de auroras
Pujante e fulgente de luz
Madrugada de um sonho
Que a felicidade conduz.

Êra – êra – êra...
Despertando o mundo é meu
Canta e vibra, querência,
Meu cantar é o mesmo teu!

Festivais

CD/LP