Não Há Pandorgas No Céu

Não Há Pandorgas No Céu
(Lenin Nunez)

Quando morre um menino
Reza o vento sua prece
O destino fecha a porta
E o dia não amanhece

Quando morre um menino
Se quebra a vida em pedaços
As horas correm vazias
Sem travessuras e abraços

Quando morre um menino
Choram as águas da sanga
Amadurecem inúteis
Figos, melões e pitangas

Quando morre um menino
A tristeza mata a fome
E crescem ervas daninhas
Pelos caminhos de um homem

Quando morre um menino
Tem o pão gosto de fel
A alegria sai da casa
E não há pandorgas no céu

Quando morre um menino
Não há pandorgas no céu



Enviada por Liane

Festivais

CD/LP