Galope dos Sonhos

Galope dos Sonhos
(Mauro Marques)

Liberdade é campo aberto
Réreas soltas, galopar
O longe está mais perto
Para quem pode sonhar.

Alma a dentro campo a fora
No atropelo da razão
Campereada não tem hora
Na fronteira da ilusão.

Mas na raia desta vida
É preciso conciliar
A chegada tão festiva
E a partida sem chegar.

A galope vão os sonhos
No tropel do coração
Deixam marcas de saudades
Que jamais se apagarão.

Gineteando apaixonado
Vai o sonho do amor
Num flete colorado
Que também é sonhador

Por lugares encantados
Um convite a ser feliz
Velhos sonhos renovados
A campear outro matiz

Mas no lombo do destino
Em galopes desiguais
Muitos sonhos de meninos
Lembram tombos nada mais



Enviada  por Liane

Festivais

CD/LP